Moro volta a defender prisão após condenação em segunda instância

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ministro acha necessário abreviar o tempo processual

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, voltou a defender, hoje (12), a execução da pena após decisão em segunda instância. Moro foi convidado a falar na comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 199/2019, que estabelece o trânsito em julgado da ação penal após o julgamento em segunda instância, extinguindo os recursos aos tribunais superiores.

De acordo com a proposta em discussão, os recursos à Cortes superiores se transformam em ações revisionais. A alteração vale para todas as esferas. Sergio Moro defende que a aplicação do dispositivo ocorra tanto na esfera criminal, quanto na cível. Ressaltou, no entanto, que acha preponderante a aprovação na esfera criminal.

“Particularmente, sou favorável para que [a execução da pena] valha tanto para os crimes cíveis quanto para os criminais. O que eu acho é que essa extensão aos casos cíveis não pode ser um peso para impedir a aprovação nos casos criminais. Mas isso vai ser decidido pelo Congresso”, disse.
Sistema pesado

De acordo com o ministro, o sistema de Justiça no país é “pesado”, e defendeu a necessidade de abreviar o tempo processual. Segundo Moro, o atual sistema de recursos acaba por levar a uma demora na conclusão dos processos. Moro disse ainda não ver prejuízo para a previsão constitucional de presunção de inocência, no caso de aprovação da PEC.

“[É preciso] abreviar o tempo dos processos e, para tanto, é fundamental que o processo possa ser encerrado e já ser executada a decisão judicial a partir, pelo menos, do julgamento em segunda instância. Não acredito que há prejuízo à presunção de inocência”, afirmou. “Um dos erros foi a preocupação excessiva com o acesso à Justiça, na perspectiva de que chegar ao Judiciário seria suficiente para chegar a esses direitos. Não basta garantir às pessoas que demandem ao Judiciário, mas garantir um resultado efetivo”, acrescentou.

Questionado se a execução da pena após decisão em segunda instância não aumentaria o número de presos no país, Moro evitou falar sobre a questão. “Acho que vai diminuir a impunidade e gerar um resultado mais rápido para a Justiça, vai diminuir a desigualdade na aplicação da lei”, disse.
Quórum

Agência Brasil

Moro defendeu ainda a alteração no trecho da PEC que trata de quóruns mínimos para que as ações revisionais sejam admitidas no Superior Tribunal de Justiça (STJ) ou Supremo Tribunal Federal (STF). A PEC altera artigos 102 e 105 da Constituição, transformando os recursos extraordinário e especial em ações revisionais.

“Sugeriria que fosse alterada a redação para estabelecer que não se exigiria esse quórum tão amplo para rejeitar a admissibilidade”, disse o ministro.

Segundo o texto em discussão, para as ações especiais, a cargo do STJ, a PEC estabelece que a ação terá sua admissibilidade recusada “por ausência de interesse geral, pelo voto unânime do órgão julgador, nos termos da legislação ordinária”.

Já para as ações revisionais extraordinárias, a cargo do STF, o texto determina que a ação deverá ter repercussão geral e que só terá sua admissibilidade recusada pelo voto de dois terços de seus membros.

Marcelo Camargo/Agência Brasil

COMMENTS

Nome

ALBA,36,Aliança Pelo Brasil,3,Bahia,455,BANDIDOS,1,BOLSONARO,22,BOLSOPNARO,30,Brasil,593,Brasília,10,Camaçari,2,cidade,1,Cláudia Wild,4,Colunista,3,Colunista Jovem,6,Condeúba,5,Corrupção,2,Crime Organizado,6,CRIMINOSOS DA POLITICA,1,Cristão,1,Cultura,3,D'jane Silva,6,Débora Santana,1,Denúncia,35,des,1,Destaque,902,Economia,41,Educacao,14,eleições 2020,1,Elizeu Rosa,33,Entretenimento,58,Esporte,19,Eunápolis,19,Evangélicos,1,Fé,2,Feira de Santana,30,FIES,1,General Mourão,2,Gospel,1,Governador Mangabeira,12,Ilhéus,21,Internacional,6,intretenimento,8,Israel,1,Itabuna,25,Jequié,77,Justiça,2,Lauri de Freitas,1,Lauro de Freitas,5,Libertacao,1,MARGINAIS,1,Ministra Damares,1,MPF,1,Mundo,95,Noticias,1161,nundi=o,1,op,1,Otto Filho,1,Partido,2,PASTORA,1,PGR,2,poli,1,polícia,1,Polícia & Poder,1,Politica,585,Política&Poder,4,Porto Seguro,15,Presidente Tancredo Neves,5,PSD,1,PSOL DE TRAFICANTES,1,Salvador,422,Saúde,18,Segurança Pública,13,STF,1,Teixeira de Freitas,23,Vitória da Conquista,33,
ltr
item
Âncora da Globo: Moro volta a defender prisão após condenação em segunda instância
Moro volta a defender prisão após condenação em segunda instância
http://imagens.ebc.com.br/Yccfu2T3vSjlTD6jYl3kyjyPkdQ=/1170x700/smart/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/default/files/thumbnails/image/segunda_instancia1202209525.jpg?itok=PIjHpzx6
Âncora da Globo
http://www.ancoradaglobo.com.br/2020/02/moro-volta-defender-prisao-apos.html
http://www.ancoradaglobo.com.br/
http://www.ancoradaglobo.com.br/
http://www.ancoradaglobo.com.br/2020/02/moro-volta-defender-prisao-apos.html
true
3455109510968606027
UTF-8
Todas as publicações Não foi encontrada nenhuma postagem VER TUDO Mais informação Resposta Cancelar resposta Delete Por Home PAGES POSTS View All RECOMENDADO PARA VOCÊ LABEL ARQUIVO PESQUISA TODAS AS PUBLICAÇÕES Não encontrou nenhuma correspondência de pós com seu pedido Voltar Início Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS CONTENT IS PREMIUM Please share to unlock Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy